• A Odisséia no Espaço

    2001_uma_odisseia_no_espaco

    2001 – Uma Odisséia no Espaço – Clássica Space Opera, 2001 – Uma Odisséia no Espaço mistura a inovação tecnológica ao medo do desconhecido.

    Um dos filmes mais intrigantes da história, 2001 – Uma Odisséia no Espaço é fruto de trabalho conjunto entre o cineasta Stanley Kubrick e o escritor Arthur C. Clarke. Os dois desenvolveram simultaneamente a história sendo que, enquanto Kubrick trabalhava no roteiro, Clarke escrevia o livro, com ambos trocando idéias e opiniões durante o trabalho. Era inclusive intenção de Clarke, ao lançar o livro, colocar o realizador como co-autor da história. O diretor é que não autorizou a utilização de seu nome.

    O enredo, bastante peculiar, é dividido em quatro partes, sendo o filme um dos mais legítimos representantes do gênero Space Opera. Na primeira parte, chamada de "Aurora do Homem", a clássica sequência pré-histórica, que já se incorporou à cultura popular devido à cena do macaco jogando o osso pra cima, cena esta recheada de significado. Na segunda parte, "TMA-1", a intensificação do mistério em torno do monolito, que, diga-se de passagem, predomina até hoje. Na terceira parte, "Missão em Júpiter", o climax do filme, acompanhamos tensos a missão dos astronautas David Bowman (Keir Dullea) e Frank Poole (Gary Lockwood), enviados à Júpiter na nave Discovery, totalmente controlada pelo computador HAL 9000. Sobre o desfecho, chamado de "Júpiter e Além do Infinito", não posso dizer praticamente nada ou estragarei a surpresa! Só posso adiantar que é inesquecível. 

    A clássica trilha sonora, que reúne música de qualidade como “Assis Falou Zaratustra”, de Richard Wagner, Johann Strauss (Danúbio Azul) e Gyorgy Ligeti (Lux Aeterna), compõe com perfeição o “clima” do filme. É difícil acreditar que ela não foi aquela pensada originalmente para a obra. Composta por Alex North, a trilha original foi totalmente substituída pelo diretor pelos temas clássicos, que, na opinião dele, funcionavam melhor. O músico ficou simplesmente furioso quando soube! 

    2001 foi um filme revolucionário para a época. Produzido em 1968, tinha efeitos especiais visionários, que lhe renderam o Oscar. Além disto, foi indicado em outras 3 categorias: Melhor Diretor, Melhor Direção de Arte e Melhor Roteiro Original. Antecipou muitas tecnologias usadas hoje, sendo a mais óbvia delas a vídeoconferência (quando um dos astronautas faz uma vídeoligação, algo impensável para a época). E influenciou inúmeros outros longas que se seguiram, de ficção científica ou não.

    Obra-prima que dificilmente será repetida, 2001 – Uma Odisséia no Espaço é um filme para se sentir, se absorver. Prescinde de lógica. Se você tentar entendê-lo, boa sorte! Apreciará mais se não for tão ambicioso.

    detalhes

    2001 - Uma Odisséia no Espaço
    Dirigido por Stanley Kubrick (2h 20 min)
    Disponível nas melhores locadoras

    autor

    Priscila Armani é jornalista e apaixonada por cultura. Ela escreve sobre cinema, artes plásticas e teatro. Siga-a no Twitter.  - Leia outros textos de

    Deixe seu comentário






    (*)campos obrigatórios.

    Editorias

    A POP4 é uma revista de crítica de cultural e entretenimento. Surgida a partir do projeto Opperaa - 2008